“É um milagre”, diz médico sobre paciente que tinha 2 meses e está vivo há 6 anos

“É um milagre”, diz médico sobre paciente que tinha 2 meses e está vivo há 6 anos

Há muitos mistérios que a medicina não consegue explicar — a vida de Israel Lemus é um deles. 

Considerado um "milagre ambulante", o homem da cidade de Houston, no Texas (EUA), que foi diagnosticado com Glioblastoma Multiforme em estágio 4, com apenas 2 meses de vida e permanece vivo após 6 anos.

O tipo de câncer cerebral é o mais agressivo da categoria, sendo considerado uma verdadeira “sentença de morte”. Não existe cura para o GBM 4 e, quando diagnosticado no início, a sobrevida é de 12 a 15 meses.

Conforme os médicos, somente 3 a 5% dos pacientes sobrevivem mais de 5 anos e a doença é sempre fatal. Sem tratamento, a sobrevida é de cerca de 3 meses.

“Para mim, é 100% Deus”

Desde que recebeu a notícia que impactou sua vida, Lemus tomou algumas decisões, entre elas o noivado seguido de casamento, a compra de uma casa e a mudança de carreira. 

“Para mim, é 100% Deus", disse à agência de notícias Khou 11: “Honestamente, sou grato a Deus todos os dias. A primeira coisa que faço quando acordo e a última coisa que faço antes de dormir é agradecer a Deus por esse dia”. 

Desde que foi diagnosticado, aos 29 anos, Lemus disse que não se sente doente. “Os exames podem mostrar isso e os médicos podem dizer isso, mas, na minha opinião, estou em remissão”, explicou o paciente.

Em casos de câncer, a palavra “remissão” significa que a doença está ausente, ou seja, que a pessoa foi curada, parcial ou totalmente. 

"É um milagre"

Lemus já passou por 3 cirurgias e fez todos os tratamentos disponíveis contra o câncer. Conforme o médico Jay-Jiguang Zhu, oncologista de Lemus na UTHealth Houston e Memorial Hermann: “Não há cura para o seu glioblastoma em estágio avançado”.

Conforme o profissional explica, “o tumor foi detectado, pela primeira vez, no tamanho de uma bola de golfe em seu cérebro” e que Lemus estar vivo e saudável após 6 anos “é um milagre”. 

“Ainda é possível ver a doença em sua ressonância magnética, é por isso que não usamos a palavra 'remissão', neste caso, mas observando é um mistério", disse o médico sobre a condição de seu paciente. 

A esposa de Lemus, Samantha, descreve o marido como “meu milagre” e o casal credita a Deus essa incrível história de sobrevivência. 

Fonte: Guiame com informações de Faithwire

Postar um comentário

0 Comentários