Mãe do cantor Delino Marçal orou para tentar afastar agressor, diz testemunha

Mãe do cantor Delino Marçal orou para tentar afastar agressor, diz testemunha

A mãe do cantor Delino Marçal, a pastora Odete Rosalina Machado da Costa, orou para tentar evitar as agressões de um jovem que invadiu a igreja e tirou sua vida na sexta-feira (14), em Goiânia. 

De acordo com testemunhas, o agressor de 22 anos estava “transtornado” no momento do ataque à pastora Odete, de 79 anos. O suspeito do assassinato, identificado como Matheus Macaubas Lima Santos, foi preso momentos depois do crime.

Uma testemunha ouvida pela polícia era um homem, de 44 anos, que estava com a pastora na Igreja Assembleia de Deus. Ele relatou que estavam orando na igreja por volta de 5h10 quando o jovem chegou nu gritando no portão. 

Em seguida, o agressor deu um murro no portão, quebrou uma grade, pulou o muro e começou a ameaçar os dois que estavam no templo.

O registro de depoimento aponta ainda que “o depoente e a vítima começaram a orar em voz alta para afastar o criminoso, tendo este falado: ‘Sai pra lá, crente do satanás’”. O agressor, então, arremessou uma barra de ferro contra a testemunha e quebrou várias cadeiras.

Em um certo momento, a testemunha conseguiu correr e ir até a casa das filhas da pastora em busca de ajuda. Porém, quando eles voltaram, a idosa estava caída na calçada da igreja, toda ensanguentada. Ela ainda estava com vida, mas morreu cerca de 20 minutos depois, antes do socorro chegar.

A pastora Odete foi enterrada no sábado (15) e o cantor Delino Marçal se emocionou na despedida: “Além de incentivadora, minha mãe era uma pessoa que me inspirava. Quando eu compartilhava uma coisa ruim, ela tinha sempre um pensamento positivo. Tinha uma palavra amiga e um ombro amigo para a gente chorar”.

O criminoso acertou pelo menos três golpes na cabeça da pastora em frente à igreja, disse o delegado André Veloso ao Metrópoles. Depois de cometer o crime, ele saiu correndo nu pela região sudoeste de Goiânia e chegou a ser filmado por uma pessoa que dirigia próximo ao local.

“Olha o que estou vendo, o cara está pelado!”, disse o motorista enquanto registrava a cena. Pouco depois da gravação do vídeo, a cerca de 1 quilômetro do local do crime, Matheus foi preso por uma equipe da Polícia Militar (PM).

Reação violenta do agressor

A polícia informou que a detenção foi difícil, devido ao comportamento violento de Matheus. No momento em que seria algemado, ele reagiu com chutes e pontapés, tendo que ter as pernas amarradas com o auxílio de ataduras. O Corpo de Bombeiros chegou a auxiliar na contenção do agressor, informou o Metrópoles.

Na Central de Flagrantes da Polícia Civil, Matheus se recusou a dar seus dados pessoais, vestir as roupas oferecidas no IML e assinar seu interrogatório.

O g1 informou que a Justiça converteu a prisão em flagrante para preventiva, para que Matheus continue preso aguardando as próximas etapas do processo.

Agressor tentou cometer crime contra família

O delegado André Veloso informou que Matheus tentou matar a própria esposa e a enteada durante a madrugada, horas antes de invadir a igreja. 

“Ele estava procurando uma faca pela casa. A mulher sabia que ele estava ruim, deve ter percebido que ele tinha chegado alterado, e ela escondeu as facas”, contou o delegado ao Metrópoles.

O tio da esposa de Matheus, que mora no mesmo lote, conseguiu retirá-lo da casa. Ele então teria saído pela rua correndo apenas de bermuda. Seus familiares relatam que haviam descoberto que ele usava crack há dois meses e chegaram a interná-lo durante um mês numa clínica psiquiátrica.

Fonte: Guiame

Postar um comentário

0 Comentários