Pastor diagnosticado com morte cerebral sobrevive, após médicos desligarem aparelhos

Pastor diagnosticado com morte cerebral sobrevive, após médicos desligarem aparelhos

Um pastor do Tennessee (EUA) foi prova de um milagre de Deus após se deparar com a morte, devido a sequelas graves da Covid-19.

Michael Napier sobreviveu a uma dura batalha contra o coronavírus em outubro de 2020, depois de 19 dias internado na cidade de Knoxville, respirando através de um ventilador mecânico.

Ele teve que passar por fisioterapia para voltar a andar e estava tomando anticoagulantes. “Eu tive alguns coágulos sanguíneos nas minhas pernas, mas os médicos disseram que não era uma trombose profunda e, por isso, eu provavelmente sairia dela”, disse Michael à emissora local WATE-TV.

Uma semana depois de parar de tomar a medicação para afinar o sangue, o pastor Michael acordou no meio da noite com tonturas, náuseas e forte dor de cabeça. Sua esposa, Linda Napier, tentou ajudar a aliviar a dor com alguns medicamentos.

Percebendo que seu quadro era um pouco mais sério, Linda chamou uma ambulância e seu marido foi levado ao hospital, em 13 de março deste ano. Mais tarde, os médicos deram o diagnóstico à família: Linda teve um derrame grave.

No início da internação, Michael estava bem, segundo sua esposa. Mas com o passar dos dias, ele passou a ter delírios. Os médicos então decidiram fazer uma cirurgia, em 19 de março, para aliviar a pressão do inchaço no cérebro, causada pelo derrame.

“Eles tiveram que cortar parte do meu crânio para aliviar a pressão no meu cérebro e colocar um filtro no meu estômago para tentar parar os coágulos sanguíneos. Tive vários coágulos sanguíneos”, relata Michael.

Diagnóstico de morte cerebral

Michael ficou em coma induzido e foi colocado em um respirador. Em 24 de março, os médicos disseram à família que o pastor provavelmente teria tido morte cerebral, já que não estava respondendo à dor, toque ou comunicação. 

Segundo a família, o médico disse ainda que podia contar nos dedos os casos de pessoas que sobreviveram a este tipo de derrame. Sendo assim, a família teve que tomar uma decisão.

“Eles ligaram para minha família e pediram que decidissem sobre me desconectar do suporte de vida. Disseram que eu seria um vegetal pelo resto da vida, que isso destruiria meu cérebro”, disse Michael.

Linda sabia que seu marido não gostaria de viver naquele estado e toda a família decidiu desligar os aparelhos. “O médico disse que ficaria chocado se ele saísse disso, e eu disse a ele, disse: ‘Você vai ficar chocado’”, conta a esposa.

Reviravolta milagrosa

A família foi informada de que Michael provavelmente não sobreviveria mais de 12 horas depois de ter desligado os aparelhos. Mas, algumas horas depois, um milagre aconteceu. Michael começou a fazer movimentos por conta própria.

“Deus ainda não queria levá-lo”, disse Linda.

Michael ficou no hospital por algumas semanas antes de iniciar o tratamento de reabilitação. Ele e sua família reconhecem que sua vida foi poupada por Deus.

“Não quero tirar nada do que os profissionais fizeram. Os médicos foram fantásticos. Acredito que Deus usou os enfermeiros e os médicos para fazer um trabalho tremendo em minha vida”, disse Michael.

O pastor disse que sabia o tempo todo que Deus estava com ele e cuidando dele. “Sou grato por ter a oportunidade de dar glória a Ele hoje”, disse. “Oro para que através desta história alguém se aproxime Dele”.

“Deus tem sido incrível”, disse Linda. “Os médicos pensaram que ele ficaria paralisado pelo menos do lado esquerdo. Ele não ficou. Eles pensaram que ele teria alguns problemas cognitivos. Ele não tem”.

Michael precisará continuar tomando anticoagulantes pelo resto de sua vida, mas é um pequeno preço a pagar para se estar vivo. “O Senhor me lembrou que Ele me deu uma chance”, disse.

Fonte: Guiame

Postar um comentário

0 Comentários