Brasileiros passaram a orar mais durante isolamento social, diz pesquisa

Brasileiros passaram a orar mais durante isolamento social, diz pesquisa

Cerca de 58,8% dos brasileiros passaram a orar mais durante o isolamento social provocado pela pandemia de Covid-19, segundo um levantamento feito em março pelo instituto Paraná Pesquisas.

O número de brasileiros que oram é ainda maior entre pessoas com 60 anos ou mais (68,8%) e mulheres (66,5%). Em contrapartida, os que menos recorrem à oração neste momento são os mais jovens: 49,8% entre quem tem de 16 a 24 anos de idade e 51,7% entre quem possui de 25 a 34 anos.

Enquanto a realização de cultos presenciais pode ser proibida por governadores e prefeitos, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na última quinta-feira (8), a internet continua sendo o maior recurso usado para espalhar a fé.

Um exemplo disso é o aplicativo Glorify, que permite que cristãos façam reflexões, meditações guiadas, orações e leiam passagens da Bíblia - tudo isso, compartilhando com amigos e comunidade religiosa. 

O app britânico chegou ao Brasil em janeiro e já superou a marca de 300 mil downloads.

“Estamos vivendo momentos difíceis e muitas pessoas buscam na fé o apoio para seguir em frente. O Glorify é uma ferramenta que ajuda os usuários a se conectarem a Deus e sua comunidade e oferece palavras de conforto. Acreditamos na possibilidade de tornar a adoração acessível a todos e, para isso, usamos a tecnologia como uma grande aliada. Isso se mostrou ainda mais necessário em um momento em que não é seguro sair de casa. O Glorify nasceu antes da pandemia, mas a pandemia certamente aumentou a necessidade do Glorify no mundo, explica Nando Souza, Head do Glorify Brasil.

Fundado em 2019 pelos empreendedores britânicos Henry Costa e Ed Beccle, o Glorify é um aplicativo cristão de devocional diário, projetado para estabelecer pequenas rotinas de adoração para fortalecer seu relacionamento com Deus e recarregar sua jornada espiritual todos os dias.

O aplicativo está disponível na Apple Store e Google Play Store.

Fonte: Guiame

Postar um comentário

0 Comentários