Bombeiro que foi tomado por chamas sobreviveu por um milagre: “Dou toda glória a Jesus”

Bombeiro que foi tomado por chamas sobreviveu por um milagre: “Dou toda glória a Jesus”

Imagine como é estar cercado por chamas intensas, sem conseguir escapar. Essa foi a situação vivida pelo capitão do Corpo de Bombeiros de Los Angeles, Cheyane Caldwell, durante uma operação em 2007 que quase tirou sua vida.

“Eu não deveria ter sobrevivido de jeito nenhum”, disse Caldwell ao podcast “Jesus Is All We Need” da Edifi, uma plataforma de podcasts cristãos. “Ninguém esperava que eu sobrevivesse.”

Em 24 de julho de 2007, Caldwell trabalhou para conter as chamas do que ficou conhecido como “incêndio de Adams”, em uma casa na Califórnia.

Quando Caldwell subiu no telhado para avaliar a situação, um acidente aconteceu. “Eu passei por cima de uma parede de divisão e caí (...) cerca de 4 ou 4,5 metros dentro da estrutura”, disse ele. “Uma bola de fogo saiu do buraco que eu criei, então você pode imaginar o que estava debaixo de mim.”

Enquanto as chamas continuavam tomando a construção, Caldwell se lembra de acordar no chão em meio a um calor sufocante, com as chamas se aproximando rapidamente.

“Pensei três coisas, claras como o dia: ‘Tudo bem, Senhor, estou aqui sozinho’. Segundo: ‘Senhor, é isso. Estou pronto’. E, por último, minha vida simplesmente passou diante de mim como um DVD em velocidade rápida”, conta.

O bombeiro comparou a intensidade da dor que sentiu como “colocar as mãos no forno e deixar queimando”. “Não conseguia tirar as mãos do forno”, disse ele. “Meus braços, minhas mãos, meu rosto, minha nuca, minha barriga... Este foi o inferno na Terra.”

Caldwell encarou a morte durante  7 minutos e 10 segundos dentro do incêndio, mas sua equipe não desistiu de resgatá-lo. Seu capitão instruiu os bombeiros no telhado a colocarem uma mangueira no buraco e jogar água lá dentro. Ele acreditava que Caldwell estava morto, mas queria que sua família pudesse “ter um funeral de caixão aberto”.

“O que ele fez foi como água do céu”, disse Caldwell, que sobreviveu contra todas as probabilidades e voltou ao trabalho em 10 meses.

Desde então, ele tem compartilhado sua história com milhares de pessoas por meio de entrevistas e um filme produzido pela Associação Evangelística Billy Graham.

Caldwell dá o crédito a Deus por sua sobrevivência e diz que “milagres continuaram acontecendo” em cada momento do incêndio. Até mesmo a queda poderia ter sido fatal devido a pontas afiadas em algumas das cercas internas, mas uma gaiola amorteceu sua queda.

“60 centímetros para a esquerda, eu teria sido empalado — 90 centímetros para a direita, eu teria caído direto no concreto abaixo”, disse ele. “Mas Deus me fez pisar bem onde pisei.”

“Eu realmente acredito que Ele me segurou na palma da mão”, Caldwell acrescentou. “É real, Ele nos ama.”

O capitão de Caldwell, que não era cristão na época do incêndio, lembra que de sentir que foi guiado por Deus: “Era como se Deus estivesse falando comigo... Deus me disse para pegar esta mangueira e colocá-la no buraco”.

Hoje Caldwell reconhece que em tudo Deus tem um propósito. “Não há razão para que eu tenha sobrevivido, mas eu dou toda a glória ao meu Senhor e Salvador Jesus Cristo pelo que Ele fez naquele dia”, afirmou.

“Não é sorte, não é coincidência, é tudo providência — e providência é definida como a mão de Deus trabalhando para uma atividade ou missão”, finalizou.

Fonte: Guiame

Postar um comentário

0 Comentários