Congregações religiosas em Cabo Verde em oração conjunta sobre covid-19 e uso abusivo do álcool

Congregações religiosas em Cabo Verde em oração conjunta sobre covid-19 e uso abusivo do álcool

O anúncio da denominada de "cerimónia religiosa partilhada" foi feito, em conferência de imprensa na cidade da Praia, por Manuel Faustino, coordenador da campanha "Menos Álcool, Mais Vida" e chefe da Casa Civil da Presidência da República, local onde vai decorrer o evento, a partir das 16:00 de sábado.

Considerado como um "evento inédito" e "extremamente simbólico" para o país, a cerimónia vai juntar as congregações religiosas católica, nazarena, adventista e muçulmana.

Manuel Faustino disse que o evento vai ser transmitido na rádio (RCV) e na televisão (TCV) públicas e na internet, para evitar aglomeração de pessoas na Presidência e também para que possa chegar a todos os cabo-verdianos no país e na diáspora.

"Vai ser um momento de extrema importância e de grande significado para nós que estamos envolvidos numa série de lutas de abrangência social e para o país, tanto em Cabo Verde como na diáspora", salientou o porta-voz da Presidência da República.

Segundo a mesma fonte, o objetivo da cerimónia é melhorar as forças das confissões religiosas para enfrentar dois grandes problemas que assolam o país, nomeadamente a uso abusivo de bebidas alcoólicas e a pandemia do novo coronavírus.

Manuel Faustino sublinhou que são dois grandes flagelos que se entrecruzam, tendo em conta que o uso abusivo do álcool é um dos maiores males sociais em Cabo Verde e um dos grandes entraves ao controlo da covid-19, que regista um acumulado de 4.048 casos desde 19 de março e 41 óbitos no arquipélago.

"O uso abusivo do álcool reduz a capacidade de resistência do organismo, ataca o sistema imunológico e dificulta e cumprimento das regras que são fundamentais, como o distanciamento social, higienização do ambiente e das mãos e na utilização de máscaras em locais específicos", referiu Faustino, ladeado por representantes das congregações religiosas.

"Essas duas situações acabam se potencializando, combater uma significa simultaneamente ajudar na limitação da outra", prosseguiu o chefe da Casa Civil da Presidência da República, que pediu o envolvimento das pessoas no combate a esses dois flagelos.

Neste sentido, afirmou que a cerimónia tem ainda por objetivo ajudar a reforçar a força que deve ser solidificada no país e no exterior para fazer face a essas duas "situações gravosas".

Manuel Faustino indicou que a cerimónia terá um "número muito reduzido de convidados", mas contará com a presença do Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, e vai respeitar todas as orientações sanitárias e regras de higiene.

Além das atividades estritamente religiosas, o evento vai contar com intervenções de representantes das confissões religiosas e testemunhos de um jovem em processo de recuperação devido a problema com o álcool e um profissional vítima da covid-19. 

Haverá ainda a assinatura de uma carta-compromisso entre essas entidades, mas que estará aberta a outras, e a cerimónia vai terminar com uma oração conjunta de todas as confissões religiosas, para "reforçar a união na ação", ainda segundo o porta-voz.

"Não se trata de agradecer, mas de registar e reconhecer", sublinhou Manuel Faustino, referindo ainda que o evento vai ser "gravado" num quadro pelo pintor cabo-verdiano Hélder Cardoso.

Fonte: Sapo.pt

Postar um comentário

0 Comentários