Pastor Tim Keller revela que está com câncer e pede orações: "Deus tem sido presente"

Pastor Tim Keller revela que está com câncer e pede orações: "Deus tem sido presente"

O pastor, teólogo e autor best-seller, Timothy Keller compartilhou que ele foi diagnosticado com câncer de pâncreas e pediu em uma postagem de sua página do Facebook que orassem por ele de quatro maneiras específicas.

"Há menos de três semanas, eu não sabia que tinha câncer. Hoje vou para o Instituto Nacional do Câncer [EUA] para fazer exames adicionais, antes de iniciar a quimioterapia para o câncer de pâncreas na próxima semana na cidade de Nova York”, escreveu o pastor aposentado da Igreja Presbiteriana Redeemer, em Nova York, em seu Facebook neste domingo.

“Eu me sinto ótimo e não tenho sintomas. Foi o que os médicos chamam de ‘coleta incidental’, também conhecida como intervenção providencial", continuou Keller, co-fundador da Coalizão do Evangelho e autor de livros como “A razão para Deus” e “O Significado do Casamento”. "Tenho excelentes médicos humanos, mas o mais importante é que o Grande Médico está cuidando de mim".

Ele acrescentou: "Embora tenhamos passado momentos de choque e medo, Deus esteve notavelmente presente comigo em todos os muitos testes, biópsias e cirurgias das últimas semanas".

Keller, que teve câncer de tireóide em 2002, também listou quatro maneiras pelas quais as pessoas podem orar por ele e sua família nesse processo.

A primeira é pedindo para Deus "usar meios médicos ou Sua intervenção direta para fazer o câncer regredir ao ponto de desaparecer", disse ele.

A segunda é que ele e sua esposa, Kathy, aproveitem esta oportunidade para serem “afastados das alegrias deste mundo e para desejar acima de tudo a presença de Deus".

A terceira é pedindo "para que minha família seja confortada e encorajada".

E a quarta é "pelos efeitos colaterais do tratamento”, que o “permitam continuar escrevendo e falando".

Keller concluiu o post nas mídias sociais com: “Correndo com alegria a corrida que me é proposta, porque Jesus fez uma corrida infinitamente mais difícil, e com alegria, por mim”, referindo-se a Hebreus 12: 1-2.

A passagem diz: “Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus”.

Ministério

Timothy Keller fundou a Igreja Presbiterana Redeemer no outono de 1989 com um grupo de 15 pessoas que se encontravam semanalmente em um apartamento no Upper East Side. Em 2016, a igreja de Manhattan estava realizando oito cultos de domingo a cada semana, com média de mais de 5.300 pessoas presentes.

Três anos atrás, a Redeemer se tornou três igrejas menores, com localizações no East Side, West Side e Downtown. Embora tenha se aposentado como pastor sênior da Redeemer em 2017, Keller disse ao Christian Post que continua "muito envolvido" com a igreja, que ele revelou ter sido "profundamente impactada" pela pandemia.

Keller, cujo último livro “Uncommon Ground” se concentra em como os cristãos devem interagir com o mundo fraturado ao seu redor, disse ao Christian Post que, no momento, ele não está certo do que Deus está dizendo à Igreja, especificamente, através da pandemia de coronavírus. O verdadeiro teste para os cristãos, ele afirmou, "virá vários meses depois, quando surgirem oportunidades de testemunhar o que ainda não podemos imaginar".

Keller, que frequentemente aborda a moderna interseção entre política e fé, também disse que, até que os cristãos consigam envolver a cultura com empatia e compreensão, é improvável que encontrem um caminho a seguir em uma sociedade amplamente pluralista.

"Aqui está o problema: a sociedade americana foi profundamente influenciada pelo cristianismo, e isso é algo que as pessoas seculares não querem admitir", disse ele. “Muitos de nossos valores, como amor, direitos humanos e dignidade do indivíduo, surgiram de culturas baseadas na Bíblia que saíram do Ocidente cristão. No entanto, os liberais seculares geralmente não querem admitir o quanto de bom da nossa sociedade veio do cristianismo".

Por outro lado, Keller acrescentou: "Os evangélicos conservadores não querem admitir o quão defeituoso é o nosso passado".

"Os cristãos modernos sentem que tínhamos uma sociedade cristã no passado", disse ele. “Foi influenciada pelo cristianismo, mas foi realmente cristã? Tivemos escravidão, segregação, maltratamos pessoas... como sociedade, fizemos muitas coisas erradas. Os evangélicos conservadores modernos não querem admitir o quão falho a nossa sociedade americana anterior tinha sido”.

Fonte: Guiame

Postar um comentário

0 Comentários