Jovem sobrevive milagrosamente a grave acidente após oração de casal

Mindi Wikstrom sofreu um grave acidente com seu carro há um ano, colocando sua vida em perigo. Seu veículo colidiu com um caminhão semitruck em 15 de maio de 2019, numa via expressa perto de Carnes, nos EUA.

A jovem, de 22 anos, sofreu ferimentos graves e foi colocada em coma induzido após ser levada de helicóptero para o MercyOne Siouxland Medical Center, em Sioux City.

Wikstrom diz que não se lembra de nenhum dos detalhes do acidente; sua primeira lembrança sobre o que aconteceu foi acordar na unidade de terapia intensiva do hospital e não saber como chegou lá.

"Essa foi honestamente a pior experiência, acordar e saber que você não deveria estar em um hospital, mas não sabia o que havia acontecido com você", disse Wikstrom. "Foi como um filme de terror."

Ela diz que quem contou a ela sobre o ocorrido foi seu pai, Dwight. “Só me lembro de chorar porque fiquei tipo: ‘Isso não é vida real. Isso é um pesadelo’”, disse.

Socorro presente

Richard e Miriam Ludeke, da Archer, estavam entre as primeiras pessoas no local do acidente. Eles imediatamente foram ajudar Wikstrom.

Richard, 66, e Miriam, 61, estavam dirigindo para o norte e passaram pelo cruzamento quando a colisão ocorreu.

Wikstrom também estava dirigindo na via expressa que se curva para o leste no cruzamento de Carnes. Ela atravessou a mediana para ir para o norte na Jackson Avenue quando seu carro colidiu com um caminhão puxando um reboque de tanque. O impacto obrigou seu veículo a entrar na vala do outro lado da rua.

O carro do casal estava tão perto da colisão que parte do vidro do veículo de Wikstrom voou sobre ele.

"Fizemos uma inversão de marcha muito rápido porque as pessoas estavam parando", disse Richard. "Virei-me e estacionei quase na frente de onde o veículo entrou na vala e corremos por ela."

O casal, assim como outra mulher que esteve no local, encontrou Wikstrom com a cabeça inclinada para trás com a boca cheia de sangue.

“Aquela senhora estendeu a mão e eu disse: ‘Erga a cabeça! Segure a cabeça dela!’ Porque você estava borbulhando. Sua cabeça estava para trás e você não conseguia respirar e tinha sangue saindo’”, disse Richard.

“Então ela estendeu a mão e levantou sua cabeça. E havia dois caras que correram [para ajudar], mas a porta foi toda quebrada daquele lado. Eu não consegui entrar. Então os dois caras agarraram a porta do motorista e a rasgaram. E então Miriam ajudou a senhora a levantar sua cabeça dela”, relatou.

Richard, que tem experiência em trabalhar como técnico médico de emergência, explicou como era importante que limpassem a garganta de sangue de Wikstrom para impedir que ela se afogasse no sangue.

Depois disso, eles estancaram o sangue que fluía de outros ferimentos na cabeça, pescoço e pernas de Wikstrom, usando peças de roupa que juntaram.

"Deus salvou a vida dela"

A mãe de Wikstrom, Mary, ligou para o casal Ludeke nos dias que se seguiram ao acidente para informar que sua filha estava em coma, mas queria agradecer a eles por seu papel em salvá-la.

“Eu disse: 'Não, Deus salvou a vida dela. Estávamos lá e fizemos o melhor que pudemos'', disse Richard à mãe da jovem, que começou a chorar e disse que a filha não podia se mexer e que estava com sangramento no cérebro.

O casal ficou sem mais informações até receber uma ligação de Wikstrom no final de maio - um ano após o acidente - em que ela lhe disse que estava viva e bem.

Wikstrom agradeceu a eles por seu papel em salvar sua vida e pediu para se encontrar com eles no local do acidente para ouvi-los contar o que havia acontecido.

Eles aceitaram e a encontraram em 29 de maio, para uma reunião emocionada.

Richard disse à jovem que, durante todo o tempo em que ele e Miriam estavam trabalhando para preservar sua vida, eles estavam orando por ela.

Richard disse que naquele momento, a passagem da Bíblia que veio a sua mente foi o Salmo 107:20, que diz: "Ele enviou Sua palavra e os curou e os livrou do que era mortal".

"Este foi o versículo que eu orei por você, que Deus estava enviando Sua Palavra para curá-la e libertá-la da sua destruição", disse Richard ao Wikstrom.

Richard explicou que Deus dá segundas chances e que ele acreditava que Deus colocou ele e Miriam no lugar certo na hora certa para ajudar o Wikstrom.

"É disso que se trata. Não fomos nós, foi Deus que enviou Sua palavra para curar você”, disse Richard.

Ela, por sua vez, explicou como acordou do coma depois de duas semanas. Sua mandíbula foi quebrada no acidente, então sua boca teve que ser temporariamente fechada, para que pudesse curar.

Reabilitação

Enquanto estava no hospital, Wikstrom conta que passou por duas semanas de reabilitação física e de fala.

"Eu gosto de andar e gosto de conversar", disse Wikstrom. “Lembro que a terapia da fala era mais difícil porque eles me faziam muitas perguntas desafiadoras, e eu também estava sob efeitos de medicamentos, o que foi difícil.”

Mais tarde, ela foi diagnosticada com depressão após o acidente e lutou para entender por que Deus havia permitido que ela passasse pela provação.

"Então ele me mostrou isso: primeiro, eu não mereço essa vida, ele salvou minha vida. E dois: é tão bom caminhar e respirar, e sou muito grata pelo bem", disse ela.

Wikstrom passou seis semanas no hospital, tendo estado em uma sala de internação geral duas semanas após a reabilitação até ser capaz de retomar sua vida - mas ela optou por não abordá-la como de costume.

Ela explicou como está confiante em sua salvação em Jesus Cristo e que, se ela tivesse morrido, teria ido para o céu. Para ela, o fato de ela ter sobrevivido ao acidente significa que ela deveria continuar vivendo por um propósito.

"Eu vejo a vida de maneira muito diferente", disse Wikstrom. "Eu não desperdiço mais. Não quero mais desperdiçar minha vida. Eu realmente quero, não impactar o mundo, mas mostrar Jesus às pessoas.”

Vida nova

Após o acidente, Wikstrom completou uma meia maratona e planeja correr uma maratona completa ainda este ano.

Em maio, ela se formou na Universidade Estadual de Iowa, em Ames, com um diploma de bacharel em estudos da comunicação.

Wikstrom também aceitou um emprego de período integral em uma organização ministerial do campus da Universidade de Nebraska, em Lincoln, chamada The Navigators.

"Basicamente, vivemos de forma relacional com estudantes universitários e apenas os informamos sobre Jesus ou os ensinamos sobre o Evangelho e depois lemos a Bíblia com eles", disse Wikstrom.

Ela contou aos Ludekes como sua experiência com o acidente de carro acabou por aprofundar seu amor por Deus e seu chamado para prosseguir no ministério.

"Quero devolver às pessoas qual é a minha esperança", disse Wikstrom. "Sinto logicamente que a única razão pela qual estou viva é compartilhar Jesus Cristo".

Fonte: Guiame