“Há poder na oração”, diz cristã que sobreviveu ao 11 de Setembro e à Covid-19

"Há poder na oração", diz cristã que sobreviveu ao 11 de Setembro e à Covid-19

Christina Stanton, uma sobrevivente ao terrível ataque terrorista de 11 de setembro de 2001 na cidade de Nova York, conta que enfrenta um outro ataque severo, o COVID-19.

Christina e seu marido Brian Stanton têm uma história milagrosa.

Para contar sua história como sobrevivente do ataque terrorista, Christina Stanton escreveu o livro Out of the Shadow of 9/11: An Inspiring Tale of Escape and Transformation (“Fora da sombra do 11 de Setembro: um conto inspirador de fuga e transformação”).

O apartamento de Christina é tão perto da torre sul do World Trade Center que o ataque do 11 de Setembro destruiu completamente suas vidas. Eles estavam olhando para as Torres Gêmeas quando o segundo avião sequestrado passou correndo por eles a caminho da torre sul.

"As ondas de choque do avião explodindo naquele prédio realmente nos levaram de volta ao nosso apartamento", ela nos disse.

Quando recuperaram a consciência e fugiram com muitos milhares de outros para Battery Park, na ponta de Manhattan, as Torres Gêmeas desabaram os enterraram em uma espessa, ofuscante e sufocante nuvem de detritos.

"Todo mundo ficou preso na fumaça e estava, tenho certeza, preocupado que eles fossem asfixiados", lembrou Christina.

Ela descreveu como era estar lá. "Todo mundo está correndo gritando, esbarrando um no outro e catapultando coisas. E eu me lembro de olhar para Brian e dizer: 'Nós vamos morrer?'"

O casal Stanton não morreu, mas ambos sofreram problemas de saúde devido à poeira tóxica por anos. Seus problemas os aproximaram de Deus, diz Christina: "Toda a nossa vida mudou por causa do 11 de Setembro. Certamente aprofundou nosso relacionamento com Cristo".

Enfrentando a Covid-19

Agora eles passaram o último mês lutando para sobreviver ao coronavírus, depois que os dois testaram positivo.

"Foi definitivamente uma batalha. E eu sabia muito bem que estava em uma batalha pela sua vida", disse Christina.

Christina teve que ser hospitalizada duas vezes e conta que quase morreu. "Eu não precisava estar conectado a um ventilador, e isso foi uma grande bênção. No entanto, visitei o hospital duas vezes durante o mês passado, porque o vírus se tornou esmagador e era algo que eu não conseguia administrar em casa", conta.

Quando ela estava voltando para casa depois de uma dessas internações, um médico deu-lhe um prognóstico assustador.

Ela lembra da conversa com o médico. "Eu disse: 'Você pode ser honesto e me diga quais são minhas chances de sobreviver a isso?' E ele realmente disse ‘50 por cento’, o que foi uma coisa chocante de se ouvir. E algumas pessoas disseram: ‘Uau, isso não é uma coisa muito legal de se dizer'. Mas eu discordo. Fiz uma pergunta honesta e ele me deu uma resposta honesta."

Christina diz que percebeu que seria preciso mais do que ajuda médica para salvá-la. Ela viajou por anos trabalhando com missões e missionários no exterior e agora acrescentou uma infinidade de pedidos de oração que já havia enviado a amigos que havia feito em todo o mundo.

'Existe poder nesse Nome'

"Quando eu descobri que estava com Covid, nas primeiras horas depois disso, havia enviado pelo menos uma centena de e-mails ou mais pedindo às pessoas que orassem por mim", disse ela, lembrando como realmente podia sentir essas orações sustentando-a.

"Eu senti isso durante todo o processo. E houve momentos em que eu não conseguia orar por mim mesma", ela admitiu. "Quando você tem uma temperatura muito alta [por causa da febre], é realmente difícil orar ou até mesmo montar uma frase. E eu sabia que havia pessoas orando por mim quando eu não conseguia orar por mim mesma".

Christina acrescentou: "Portanto, a oração é tudo. E invoquei bastante o nome de Jesus Cristo durante o mês passado. E há poder nesse nome e há poder na oração".

Fonte: Guia-Me

Postar um comentário

0 Comentários